Guarde seu coração, pois ele é a fonte da vida "Filho meu, dá-me o teu coração".

domingo, 31 de julho de 2011

COMO UMA CRIANÇA

Sou como uma criança, sempre pronta a aprender com  Jesus e de Jesus.

Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus.(Fp 1:6)

Lendo essa passagem das escrituras fico muito encorajada ao saber que Deus apenas começou fazer uma obra em minha vida. Estou em processo de construção e isso muito me alegra.
Muitas vezes cheguei a pensar que  Deus não me ouve , uma vez que ainda não tem respondido alguns de meus pedidos.
Na verdade, o problema nunca está com Deus, mas comigo. Ele sempre sabe o que é melhor par minha vida e, se ainda não atendeu algumas de minhas súplicas, é porque ainda não estou preparada para receber as bênçãos que Ele tem para mim.
Deus ainda está trabalhando no meu coração para que eu seja cada dia mais feliz e completamente satisfeita com meu relacionamento com Ele.
Glória a Deus!
Maravilhoso início de semana a todos!
Grande abraço,
Fátima

domingo, 17 de julho de 2011

MODA


VOCÊ ANDA NA MODA?
Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade. ( Colossenses 3:12)
Muitas vezes nos perguntamos: “Como devo me vestir nesta ocasião?”
Paulo nos lembra de uma vestimenta que está sempre na moda. Nós a usamos  porque somos especiais. Essa roupa é da coleção do Grande Estilista chamado CARÁTER e deve ser usada sempre, principalmente quando estamos com outras pessoas.  Acessórios que compões essa "moda" como humildade, bondade, paciência, misericórdia nem sempre são fáceis de usar, mas constituem  uma bênção para aqueles os usam.
Que você esteja sempre na moda que Deus aprecia!
Ótima semana a todos,
Fátima
Uma sugestão de ORAÇÃO:
Pai Santo, obrigada por criar um vestuário maravilhoso para cada um dos seus filhos. Que eu possa usá-lo sempre e propagar essa “moda” todos os dias. Que sejam vistas em mim as qualidades de caráter que só podem ser atribuídos à tua presença na minha vida. A Ti seja a glória e a honra, para sempre e sempre! no nome Em nome de Jesus, meu Senhor. Amém.
Que Jesus nos abençoe!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

ALEGRIA




     
Os ladrões que nos roubam a Alegria :

l. As circunstâncias

     Muitos de nós teremos de confessar que quando as coisas nos correm «a jeito» sentimo-nos muito mais felizes e somos mais tratáveis. «O meu pai deve ter tido hoje um dia bom no emprego » — disse a pequenita Peggy à amiga que a viera visitar — «hoie não fez barulho com os pneus ao entrar aqui no parque, não bateu com a porta ao entrar em casa e deu mesmo um beijo à minha mãe!»


     Já alguma vez nos detivemos a considerar quão poucas são as circunstâncias que estão realmente sob o "nosso controlo? Não temos qualquer poder sobre as condições atmosféricas ou sobre o trânsito numa estrada, ou mesmo sobre o que outras pessoas dizem e fazem. A pessoa que faz depender a sua felicidade de circunstâncias ideais acaba por passar a maior parte do tempo num estado miserável. O poeta Byron escreveu: «Os homens são o passatempo das circunstâncias». No entanto, aqui vemos o apóstolo Paulo na pior das circunstâncias a escrever uma carta repleta de alegria!


2. As pessoas

     A minha filha saltou do autocarro da escola que havia parado em frente da nossa casa e precipitou-se pela porta da frente. Galgou com ar desafiador as escadas que conduziam ao quarto e bateu com a porta. Estava constantemente a resmungar em voz baixa: «Pessoas — pessoas —pessoas — PESSOAS!»

     Fui até à porta do quarto e bati de mansinho.

     «Posso entrar?»

     Ela respondeu: «Não!»

     Tentei de novo, mas repetiu num tom ainda mais aborrecido: «NÃO!»

     Perguntei-lhe: «Por que não posso entrar?»

     A sua resposta foi: «Porque és uma pessoa!» Todos nós temos perdido a nossa alegria por causa de pessoas: pelo que são, pelo que dizem e pelo que fazem. (Sem dúvida que também nós próprios temos contribuído para tornar qualquer outra pessoa infeliz. A coisa funciona nos dois sentidos). A verdade é que nós temos de viver e trabalhar com pessoas; mas não nos podemos isolar e continuar a viver para glorificar a Cristo. Somos a luz do mundo e o sal da terra. Contudo, há ocasiões em que a luz se ofusca e o sal se torna mais amargo por causa (doutras pessoas. Haverá alguma maneira de ter alegria a despeito das pessoas?


3. Coisas

     Um homem rico estava a fazer a mudança para a sua mansão, enquanto um seu vizinho, que acreditava na simplicidade da vida, observava atentamente os seus movimentos. Contou o número de cadeiras e de mesas e a grande quantidade de bric-à-brac(objetos de pequeno valor; bibelôs, enfeites em geral) que era transportada para dentro de casa. Por fim, disse para o dono da casa: «Vizinho, se precisar de alguma coisa, venha ter comigo e eu lhe mostrarei como pode passar sem ela!»

     Abraão Lincoln seguia por uma rua abaixo com os dois filhos que choravam e brigavam.

     «Que se passa com os rapazes?» —perguntou--lhe um amigo.

     «A mesma coisa que acontece com toda a gente» — respondeu Lincoin. «Eu tenho três nozes e cada um deles quer duas!»

     Coisas! Como elas podem ser ladrões! Todavia, Jesus disse: «A vida de qualquer não consiste na abundância do que possui» (Lucas 12:15). No Sermão da Montanha, Jesus alertou-nos contra o ajuntar tesouros na terra: não são seguros, não duram e nunca satisfazem. No entanto, a maior parte das pessoas hoje em dia pensa que a alegria vem das coisas que possuem. Na realidade, as coisas podem roubar-nos o único tipo de alegria que de facto permanece. 


4. Preocupação

     Este é o pior de todos os ladrões! Quantas pessoas têm perdido a paz e a satisfação por causa da preocupação. De facto, a preocupação tem mesmo consequências físicas, e embora os medicamentos possam afastar os sintomas, não podem remover a causa. A preocupação é algo interior. Pode-se comprar «sono» na Farmácia, mas não se pode comprar «descanso».

     Se Paulo tivesse querido preocupar-se, teria muitas ocasiões para tal. Era um prisioneiro político que possivelmente iria ser executado. Os seus amigos em Roma encontravam-se divididos nas atitudes em relação ao seu caso. Ele não contava com qualquer junta missionária a apoiá-lo, e nenhuma lei social o defendia. Não obstante todas essas dificuldades, Paulo não se preocupa! Pelo contrário, escreve uma carta transbordante de alegria e diz-nos como podemos deixar de preocupar-nos.

     São estes, pois, os quatro ladrões que nos roubam a alegria: as circunstâncias, as pessoas, as coisas e a preocupação. Como é que iremos apanhar estes ladrões e impedi-los de roubar a alegria que temos por direito em Cristo? A resposta é esta: Temos de cultivar o tipo correcto de mente. Se a perspectiva determina o resultado, então a atitude mental que desenvolvemos em nós irá determinar a nossa alegria, ou a falta dela. Nos quatro capítulos de Filipenses, Paulo descreve as quatro atitudes da mente que resultarão em alegria, apesar das circunstâncias, das pessoas e das coisas, e que nos livrarão de preocupações.

Warren W. Wiersbe

domingo, 10 de julho de 2011

VARÃO VALOROSO



Escrevi este poema em homenagem aos homens de Deus que encontramos em nosso meio.

VARÃO VALOROSO


Toda mulher anseia encontrar
Um varão segundo o coração de Deus
Você, amado, é o escolhido entre  todos
Porque ama a Seu senhor
De todo o coração

Você, amado, foi criado para preencher o espaço
que o Pai Celestial deixou no coração
Da mulher virtuosa
Varão valoroso, você existe
Para fazer feliz aquela que Deus
Criou para ser sua auxiliadora

Faça tudo para merecê-la!
Ela é o presente do criador para você!

Homem de Deus, varão valoroso
Você é único, incomparável
E vai ser muito amado, acredite
Como já é estimado pelo Pai Celestial
Obrigada por você existir!

A.Fátima Fuini

sábado, 9 de julho de 2011

MULHER VIRTUOSA

Mulher Virtuosa


MULHER VIRTUOSA



Mulher virtuosa, aqui ela está
Todos desejam seu favor
Ela tem a segurança que vem do Senhor
Que belo exemplo de vida nos dá!

É o alicerce do lar
Sábios conselhos tem para dar
Trabalha com amor e dedicação
Edifica o lar com sua gratidão

Em tudo dá graças a Deus
É o porto seguro dos seus
Seja louvado seu proceder
As lutas ela consegue vencer

Quando a dor chega ela chora
Então busca a Deus sem demora
Tudo suporta por amor
 Porque está na presença do Senhor

Antônia Fátima

terça-feira, 5 de julho de 2011

DESABAFO

Amados,
diante de um artigo como este, só posso dizer que a coragem deste pastor me anima a continuar na defesa do verdaeiro Evangelho de Cristo.
Muitas pessoas pensam que se não concordarem com a união homoafetiva, podem ser  enquadradas na tal "lei da homofobia."
Mas veja: a palavra fala por si mesma( homo, do grego siginifica igual e fobia também do grego, siginifica aversão, repulsa, medo.)
Ora, como  cristãos verdadeiros, não podemos manisfestar aversão por ninguém, pois seria ferir os direitos humanos.Portanto, se você não discrimina um homossexual, pelo contrário, trata-o com respeito, não pode ser acusado de praticar homofobia.

Ótima semana a todos, sem medo de manifestar sua opinião sobre as verdades da palavra de Deus.
Fátima


O desabafo de um pastor contra a tal da "homofobia"
  
 Para a tristeza de todos aqueles que amam a Palavra de Deus e buscam viver uma vida digna de modo sóbrio, justo e piedoso, no último dia 5 de maio o STF e seus nobres juízes decidiram de modo despótico algo que a maioria da população brasileira não aceita: a idéia de que um “casal” homossexual seja visto como uma unidade familiar. Não se viu o bem comum, mas apenas o bem de um grupo que deseja se sobrepor sobre os outros como se não houvesse leis que protegessem o ser humano. As leis devem cumprir seu papel de defender os bons costumes e a integridade do ser humano e não favorecer grupos exclusivos.


Nossa palavra não é contra os homossexuais. A Igreja é contra o homossexualismo! Ninguém em sã consciência deve tratar mal um homossexual, mas deve ajudá-lo segundo as Escrituras, pois Deus fez homem e mulher, estabelecendo um parâmetro familiar entre macho e fêmea, não entre pessoas do mesmo sexo (Gn. 2:24). Reiteramos nossa posição de forma clara já que nossa submissão é a Palavra de Deus em primeiro lugar, pois “... É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens!” (At. 5:29).


Sim, homossexualismo é pecado e desagrada a Deus, ou “Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos” (1Co. 6:9). Nossa posição é contra aqueles “que praticam imoralidade sexual e os homossexuais, para os seqüestradores, para os mentirosos e os que juram falsamente; e para todo aquele que se opõe à sã doutrina” (1Tm. 1:10). Continuaremos a ensinar o que a Bíblia diz: “Não se deite com um homem como quem deita com uma mulher; é repugnante” (Lv. 18:22). No hebraico “deitar” significa “copular, um lugar onde se dorme e geralmente de conotação sexual entre homem e mulher”. Sim, a Bíblia é clara que “Se um homem se deitar com outro homem como quem se deita com uma mulher, ambos praticaram um ato repugnante...” (Lv. 20:13).


Sim, continuaremos manifestando nossa posição e não vamos nos calar, mesmo que nos ameacem. Vamos lutar pelo nosso direito de expressão, pois acreditar no que quiser é um direito essencial a cada ser humano. A consciência é foro íntimo, inviolável, sobre o qual outros não podem legislar. Mas muitos dos defensores do homossexualismo, em nome da “diversidade” querem tornar todos iguais e calar os “radicais”, os “conservadores”, os “fundamentalistas”, querem depreciar a fé e a consciência dos que não concordam, tentando pichá-los de “ignorantes” e “fora-da-lei”. Esquecem, entretanto, que faz parte da nossa humanidade termos nossas próprias ideias, convicções e crenças. E é daqui que procede a liberdade de expressão, que consiste no direito de alguém declarar o que acredita e os motivos pelos quais acredita de determinada forma e não de outra. Nesse direito está implícito o “contraditório”, que é a liberdade de crítica e posicionamento contrário às expressões ou manifestações de outras pessoas em qualquer área da vida. A liberdade de consciência diz respeito ao que cremos, intimamente, e a liberdade de expressão é a manifestação externa dessas crenças.


A liberdade de consciência e de expressão do pensamento é garantida pela Constituição, sendo garantida a inviolabilidade dessa condição de igualdade. Se todos são iguais, todos podem expressar suas ideias, pensamentos e crenças, desde que os direitos dos outros sejam respeitados. Ao tratar dos direitos e garantias fundamentais, a Constituição diz que “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato” (Art.5º - IV) e que “é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias” (Art.5º - VI). A liberdade de expressão religiosa é decorrente da liberdade de consciência e consiste no direito das pessoas de manifestarem suas crenças ou descrenças. Aqui se incluem adeptos das religiões, do ateísmo e do agnosticismo. Conforme o mesmo artigo “ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política...” (VIII).


Portanto, não negociamos princípios. Somos contra o homossexualismo, não aceitamos a decisão do STF e não aceitamos chamar essas “uniões” de família. Somos fundamentalistas, porque cremos em fundamentos inabaláveis e eternos; somos conservadores sim, pois queremos conservar a célula mãe da sociedade, a família.


Querem nos chamar de radicais? Pois nos chamem, pois nosso compromisso é radical por Aquele que fez tudo por nós e morreu na cruz para pagar nossos pecados. Cremos na restauração do ser humano e continuaremos pregando que a homossexualidade é pecado, que os homossexuais precisam de conversão e que a graça de Deus é capaz de restaurá-los.

Por Gilson Souto Maior Junior, pastor sênior da Igreja Batista do Estoril, professor de Antigo Testamento e Hebraico na Faculdade Teológica Batista de Bauru – Fateo.


Extraído do blog dos Eleitos

sábado, 2 de julho de 2011

MILHO, PIPOCA OU PIRUÁ?

          Alguns de nós são milho, pipoca ou piruá.Eu já fui milho e depois pipoca. Quem é você?

                                              Pipoca ou piruá?

Milho de pipoca que não passa pelo fogo, continua a ser milho de pipoca para sempre.  Assim acontece com as pessoas.
As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.
Quem não passa pelo fogo fica do mesmo jeito a vida inteira, vivendo uma mesmice e uma dureza assombrosa
Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor. Mas, de repente, vem o fogo.
O fogo das dificuldades, do desemprego, da morte de um ente querido , da dor de ver um filho perdidonas drogas. Enfim, quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos.
Pode ser o fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimento cujas causas ignoramos.
Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo!
Sem fogo o sofrimento diminui e, com isso, a possibilidade de transformação também.
Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou: vai morrer.
Dentro da sua casca dura, fechada em si mesma, não imagina um destino diferente para si, uma transformação que está sendo preparada para ela.
A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz.
Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece: BUMMMMMMMMMMMMM!
E ela aparece como algo completamente diferente, uma aparência com a qual  ela mesma nunca havia sonhado.
Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar.
São como aquelas pessoas, que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Estão satisfeita com sua maneira de viver
A presunção e o medo são a dura casca do milho que não estoura.
No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva.
Não vão dar alegria para ninguém.

Texto adaptado de “A pipoca” extraído do livro O amor acende a Lua de Rubem Alves.